sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

I Love You To The Moon And Back - Capítulo 21


                                                      Capítulo 21
Obs: Leiam as notas finais!

Ainda era manhã quando eles chegaram na clinica, Demi usava uma roupa simples, uma camiseta de banda, short jeans rasgado, uma meia calça e um tênis qualquer, estava de óculos escuros e um coque alto com a franja solta, ela desligou o carro e se virou pra ele.
-Não vou poder ficar a tarde aqui.
-Por que? – ele perguntou.
-Tenho uma entrevista em uma rádio local – deu de ombros – mas é coisa rápida, eu volto no fim da tarde.
-Tudo bem – ele sorriu – mas por que você ficou séria do nada? Aconteceu mais alguma coisa?
-Bom, temos que ser sinceros um com o outro agora, né?
-Sempre – ele respondeu, tinha um tom de preocupação em sua voz, ou até medo, medo dela ter feito algo que a prejudicasse, medo de seus problemas terem aparecido.
-Relaxa, não é nada do que você está pensando – ela riu com a típica frase e ele riu junto – é que eu não namorava há muito tempo e com toda certeza do mundo vão me perguntar hoje nessa entrevista se eu estou solteira, e para o nosso bem eu acho melhor manter isso em segredo por enquanto.
Ela falou meio receosa, tinha medo de que ele pensasse que ela tinha vergonha de assumir ou algo assim, mas ele só respirou fundo tentando entender tudo e perguntou:
-Por que?
-Porque eu acho que não é o momento – foi sincera – quando descobrirem, o assédio vai triplicar e vai ser horrível, a gente ta passando por isso junto com o Ronan, e acredite em mim, esses paparazzi invadem até a sua casa se for preciso, e eu não quero forçar vocês dois a conviverem com isso, não agora.
Ele respirou fundo mais uma vez e encarou o nada.
-Eu concordo – disse – mas acho que não vamos conseguir esconder por muito tempo, quero dizer, esses caras estão sempre atrás de você.
-Me desculpe por isso – ela suspirou e ele a beijou de leve.
-É um preço a se pagar – fez carinho no rosto dela com os dedos, as vezes descia para brincar com as mechas do cabelo – você é perfeita demais, tinha que ter alguma coisa atrapalhando.
-Perfeita? – ela riu sem humor – Joseph, eu…
-Shi – ele colocou o indicador sobre os lábios dela, sabendo dos seus comentários de baixa autoestima – é perfeita pra mim, não me importo com os outros – ele semicerrou os olhos – ou tem mais alguém que você queira agradar?
-CLARO QUE NÃO – ela respondeu fingindo estar ofendida dando um tapa de leve no braço dele – obrigada.
-Pelo que? – perguntou meio desconfiado, o perfume dela tomava conta do carro deixando-o meio desnorteado.
-Por me fazer sentir perfeita.
Ele apenas sorriu antes de puxa-la para um outro beijo, dessa vez demorado e apaixonante, mas ele se afastou de repente fazendo uma careta.
-Aconteceu alguma coisa? – Demi perguntou assustada.
-Porque o freio de mão existe? – ele riu passando a mão na lateral da barriga que estava apoiada na alavanca do freio de mão, Demi apenas gargalhou da cara dele de insatisfeito.
-Vamos entrar – ela finalmente disse sorrindo de leve, eles contornaram o carro e entraram separados um do outro pra não levantar suspeitas embora quase toda equipe da clinica tivesse assinado um termo de sigilo sobre o caso de Ronan e o envolvimento de Demi.
Joe abriu a porta do quarto silenciosamente, não queria acordar Ronan, mas já era tarde, quando abriu por completo, ele encontrou um par de olhos azuis o encarando, o pequeno sorriu entusiasmado e olhou para a enfermeira.
-Viu, ele que é meu pai.
-Ele é mesmo muito bonito – a simpática enfermeira respondeu, ela tinha um cabelo castanho e repicado até pouco abaixo dos ombros, olhos esverdeados e um corpo esguio.
-Que história é essa? – Joe perguntou sorrindo sem jeito e indo até o filho se deitando ao seu lado.
-Ronan me mostrou um desenho que fez de vocês – a moça sorriu – ele me disse que você era bonito.
Joe pode sentir uma pontada de sensualidade na forma que ela falou, mas ficou só na tentativa, não causara nenhum impacto nele, não o que ela esperava, então sorriu e revirou os olhos.
-Agradeço – disse indiferente e se virou pra Ronan – como você está?
-Bem – ele respondeu, realmente parecia melhor, já estava recuperando o rubor natural nas bochechas e o sorriso já não tinha o aspecto forçado – a tia Demi não veio?
-Veio – Joe sorriu bobo – ela ta falando no telefone, já vai entrar.
Ronan sorriu mais dessa vez, ele amava Demi, amava a forma que ela o tratava, as vezes imaginava como seria se ela fosse sua mãe, a porta se abriu rapidamente e ela entrou ainda se despedindo de alguém no telefone.
-Sei onde é sim, combinado, eu que agradeço – sorriu como se a pessoa do outro lado da linha pudesse vê-la – tchau – desligou o celular e encarou o menino, não pode deixar de sorrir abertamente – Ron – quase gritou, encostou a porta e correu até a cama se sentando perto dele – como…
-To bem – ele respondeu prevendo a pergunta e revirou os olhos, o que a fez rir – tia Demi, olha, essa é minha amiga – apontou para a enfermeira que anotava alguns dados em papéis.
A moça levantou o rosto e corou ao ver Demi, abaixou o rosto sorrindo de fora frágil.
-Olá – Demi disse simpática – que bom que você tem alguém pra fazer companhia.
-Pois é – Ronan respondeu – hoje mais cedo fizemos um desenho juntos – ele pegou o papel – olha só.
Demi encarou o desenho, parecia o que ela tinha ganhado, mas no lugar dele, estava a enfermeira, ela reconheceu os olhos verdes e o cabelo, e claro, o boneco mais parecia um palito com roupa branca.
-Mas que lindo – Demi fingiu-se de desentendida – essa aqui é você?
-É sim – Ronan respondeu antes que a enfermeira pudesse abrir a boca – ela disse que o papai era muito bonito e perguntou se eu podia entrar pra família.
-Mas era uma brincadeira – a menina se consertou rapidamente – eu só disse que poderia me desenhar.
-Não tem porque se justificar – Joe se levantou ficando sentado ao lado de Ronan – ficou bonito o desenho.
Demi lançou um olhar mortal pra ele e ergueu uma sobrancelha, encarou de novo a enfermeira que mais parecia um esfregão de tão magra, revirou os olhos e respirou fundo.
-Exatamente – ela sorriu – não tem o porquê de se justificar – encarou a menina a sua frente mais uma vez – qual é o seu nome?
-Ashley – ela respondeu baixo.
-Gostei do seu cabelo, Ash – Demi disse divertida – posso te chamar assim, né? Digo, amiga do Ronan é minha amiga também.
-Claro – ela sorriu vendo que Demi não tinha nada contra ela – pode sim, eu sou fã da sua musica.
-Jura? – respondeu surpresa, e de fato estava – é um honra pra mim.
Ela sorriu e pediu licença saindo do quarto ainda meio sem graça.
-Parte da família? – Demi perguntou encarando Joe friamente – não tem porque se justificar?- repetiu cruzando os braços – FICOU BONITO O DESENHO – imitou ele gritando – O QUE FOI ISSO, JOSEPH?
-Eu queria ser educado – ele ergueu as mãos mostrando que não havia feito de propósito, mas tinha um sorriso besta no rosto.
-Odeio que me provoquem ciúmes, odeio – ela disse entre dentes.
-Eu não provoquei – Joe se defendeu mais uma vez e ela pegou o celular digitando rapidamente um numero – o que você vai fazer? Mandar me matar? – ele riu da piada mas Demi continuou séria.
-Alô – disse de forma sedutora e Joe estremeceu, mesmo sabendo que não tinha sido pra ele, ela tinha esse poder – to ótima, e você? – ela continuou com o tom sensual – que bom, liguei pra saber se você está na cidade ainda – ela esperou a resposta e sorriu vitoriosa – ótimo, ótimo, vou adorar te mostrar a cidade…
-Não se paga mal por mal, Demetria – ele alertou mas ela ergueu o dedo mandando-o ficar quieto.
-Ok, Niall, te vejo daqui a pouco então – sorriu – um beijo, tchau – disse ainda manhosa.
-Naion quem? – ele perguntou e Demi soltou uma gargalhada.
-Niall – repetiu pausadamente – Niall Horan, vocalista de uma boyband inglesa que está perdida nesse lugar há algumas semanas.
-É mesmo? E o que você tem a ver com isso?
-Eu estou sendo educada – ela retribuiu no mesmo tom que ele havia se referido a Ashley antes – estou indo, vou encontrar o Nialler e vou pra entrevista depois, venho mais tarde.
-Juízo, Demetria – Joe bufou.
-Confia em mim, meu amor – ela disse irônica e ele rolou os olhos.
-Acho melhor você não ir.
-Bem, de qualquer forma eu vou pra entrevista e você vai ficar sozinho aqui com aquele bambu de cutucar estrela – ela despejou tudo em um fôlego só.
-Demi, ta bom, já acabou a infantilidade, pode ligar pra ele desmarcando – pediu enciumado.
-Não posso não – ela deu um beijo na testa de Ronan e sussurrou algo em seu ouvido – confia em mim, Joe.
Ele se enfureceu ainda mais quando viu a porta se abrindo e Demi saindo decidida de dentro do quarto, se deitou irritado e colocou o braço sobre o rosto.
-Pai – Ronan se virou pra ele inocente – você e a tia Demi não são só amigos, né?
-Você sabe guardar segredo?- Joe perguntou e ele afirmou com a cabeça – nós começamos a namorar ontem.
-SÉRIO? – o rosto infantil se iluminou com um sorriso imenso – eu amo a tia Demi – ele disse assim, simplesmente, direto e sincero como uma criança, o que fez Joe pensar como eles conseguiam ser assim? Pra eles o amor era puro, como deveria ser pra todos.
Joe concordou com a cabeça e abriu os braços para o filho deitar, ele brincava com aqueles frágeis e pequenos dedos.
-É – sorriu meio bobo – eu acho que também a amo.

Oi, oi gente! Mil desculpas pela demora, vocês sabem, to sem internet em casa e tal. Enfim, ta aí o capítulo 21 e.... tchã tchã tchã tchã.... só tem mais 9 capítulos ! :O Isso aí, só mais 9 capítulos, gente. Aproveitem o restinho da fic, estamos na contagem regressiva! Pois é, é isso aí. Comentários ? xx