quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

I Love You To The Moon And Back - Capítulo 17


Capítulo 17

-Como eu senti falta disso – ele sussurrou abraçando Demi forte e guiando-a até o sofá – eu to com medo – Demi, que estava no colo dele feito uma criança, escondeu o rosto na dobra do pescoço de Joe.
-Não vai acontecer nada de ruim – ela disse baixo – me deixa ajudar, Joe, por favor.
Ele suspirou, sabia que seria o melhor para Ronan, apertou o abraço e abaixou a cabeça para olha-la.
-Tudo bem, mas com uma condição.
-Diga, eu já sabia que teria alguma – brincou.
-Quando esse pesadelo acabar, você vai aceitar que eu te pague, de forma parcelada, claro, mas…
-Joe – ela o interrompeu e se levantou para encara-lo – não se preocupa com isso agora, ok? Não é um favor, eu to fazendo porque o Ronan é muito importante pra mim.
-Mas, Demi…
-Mas nada – ela o cortou outra vez e segurou o rosto dele – tá tudo certo, a gente ta junto nessa.
Ele suspirou.
-A gente tem que fazer tudo rápido.
-Eu sei – ela disse – o piloto que me trouxe está de sobreaviso.
-Piloto?
-Eu vim de helicóptero, Joe, como acha que eu cheguei aqui tão rápido? – ela se ajeitou no colo dele – ele está esperando a minha decisão, então, podemos ir amanhã de manhã.
-E vamos ficar aonde?
-Na minha casa – ela disse como se fosse óbvio – se você quiser eu ligo para o meu agente agora e ele vai vendo a melhor clínica.
-Agora? – Joe riu de leve – deixa ele descansar, Demi.
-Ele é pago pra isso – ela disse com um ar superior e Joe a repreendeu com o olhar fazendo-a rir – to brincando, não sou mesquinha assim – se corrigiu – ele é meu pai.
-Seu pai? – ele perguntou confuso – eu me lembro de você dizendo que seu ai te abandonou.
-Sim – ela suspirou, era difícil falar sobre isso – mas minha mãe casou de novo quando eu era pequena, meu padrasto sempre foi um pai pra mim, eu o amo como se fosse meu pai biológico.
-Na verdade você escraviza ele – Joe disse brincando vendo que o assunto não era fácil pra ela.
-Claro – Demi sorriu com a facilidade dele descontrair o ambiente – posso usar o telefone?
-Demi, ta tarde.
-Eu sei a hora que meu pai vai dormir, ok? – ela disse e se levantou pegando o telefone – Dallas?
-DEMETRIA – a irmã gritou, Joe se levantou e a abraçou por trás beijando o pescoço dela.
-Oi – Demi disse tentando se concentrar na conversa.
-ONDE VOCÊ ESTÁ? – Dallas perguntou assustada – TEM NOÇÃO QUE JÁ ERA PRA VOCÊ TER CHEGADO AQUI, A MAMÃE TA QUASE TENDO OUTRA FILHA!
-A Selena não falou onde eu to? – perguntou com dificuldade, Joe se divertia com a situação.
-Não – Dallas disse como se fosse óbvio – seu celular fora de área, droga, Demi, o papai quase colocou o FBI atrás de você.
-Calma, Dallas – respirou fundo e afastou o telefone – para, Joseph – disse entre dentes.
-Que? Quem é Joseph, hein, Demi? – ela perguntou.
-Um amigo, D. – respondeu rapidamente – eu preciso falar com o papai, rápido.
-Ok – respondeu ainda desconfiada – mais tarde você me explica isso direito.
Demi ouviu os passos de Dallas levando o telefone até Eddie, aproveitou e se virou pra Joe.
-Você tá maluco? – perguntou – eu vou falar com o meu pai agora – ela parou um instante – meu p-a-i – repetiu pausadamente – controle-se.
-Sim senhora – ele riu.
-To falando sério, menino – deu um tapa no braço dele e se soltou andando mais pra frente – pai.
-DEMETRIA – Eddie disse bravo – onde você tá?
-Eu to na casa de um amigo – ela clareou a garganta e emendou antes que ele brigasse – confia em mim, pai, ele precisa da minha ajuda.
-Que amigo, Demetria? – Eddie perguntou ainda bravo.
-Para de me chamar assim, você sabe que eu não gosto – fez drama sabendo que ele não resistia a isso.
-Ok – suspirou – quando você vem?
-Se tudo der certo, amanhã de manhã, mas eu preciso de uma ajuda sua urgentemente.
-Diga.
-Preciso que você procure pra mim a melhor clínica de tratamento para câncer infantil – explicou – leucemia.
-O que? – Eddie perguntou preocupado – por que, Demi?
-O filho desse meu amigo – a voz dela falhou –pai – pediu sentindo as lágrimas se formarem, Joe foi até ela e voltou a abraça-la – por favor.
Eddie percebeu o desespero e a urgência na voz da filha, concordou e disse que buscaria ela no aeroporto no dia seguinte.
-Pronto – Demi disse mais calma – tudo certo.
-Vou arrumar as malas.
-Amanhã, amanhã a gente arruma, eu te ajudo – ela reclamou – eu preciso de um banho e cama.
-Hm, banho – Joe disse rindo.
-Nem vem – ela riu e saiu correndo.
-Ah, Demi – ele correu atrás dela e ela se trancou no banheiro.
-Onde eu acho uma toalha? – ela gritou do outro lado da porta.
-Não sei, se vira – Joe provocou.
-To falando sério, Joseph.
-No armário da pia – ele disse rindo e pode ouvi-la abrindo a porta do armarinho.
-Arruma alguma coisa pra eu dormir, por favor – ela pediu ligando o chuveiro.
-Tem uma blusa branca pendurada ai na porta – ele disse e ela encarou a blusa social – e um short azul que eu uso pra jogar futebol em algum lugar, procura aí.
-Ok – ela disse e ligou o chuveiro.
Ele foi para o outro banheiro e tomou um banho rápido, colocou uma calça de moletom e voltou para o quarto secando o cabelo de qualquer jeito, entrou e encontrou Demi procurando o short.
-Desculpa – ela puxou a blusa pra baixo corada – eu não achei o short, achei que estivesse por aqui.
-Vou pegar pra você – ele disse abrindo o armário,parou de procurar e olhou pra ela mais uma vez.
-Vamos dormir, Joe – ela disse rindo dele.
-Eu não falei nada – ele se defendeu e foi até ela beijando-a intensamente.
-Dormir – ela se afastou com dificuldade – eu estava em um palco pulando como uma louca, vim pra cá no susto, desculpa, mas não tenho pique nem pra respirar no momento.
-Nossa, você sabe mesmo como acabar com o clima – ele disse fingindo estar bravo.
-Que clima? – ela debochou e se deitou puxando o edredom até a cintura – boa noite, Joe.
Ele riu sozinho e apagou a luz se aconchegando ao lado dela logo em seguida, passou os braços pela cintura e a puxou pra perto sussurrando em seu ouvido:
-Boa noite

Estão vendo como eu sou boazinha ? Mereço até indicações, vocês não acham ? :D Comentários ? xx

I Love You To The Moon And Back - Capítulo 16


Capítulo 16

-Bom -  Miley sorriu observando a cena – acho que você tem ajuda, né.
-Não, Miles…
-Tchau, Joe, qualquer coisa, grita – Nick disse sorrindo e eles foram pra casa.
-Nossa, mas que sutil – Demi disse sem graça.
-É – Joe respondeu ainda sem acreditar que ela estava ali – vamos entrar – por instinto passou a mão pela cintura dela guiando-a até em casa.
-Que susto, hein, Ron – Demi disse arrumando o menino na cama, ela fez questão de dar banho nele e coloca-lo pra dormir, acariciava a bochecha dele enquanto Joe observava a cena da porta.
-Eu to bem – o menino disse e bocejou – só com sono.
-Eu sei, você é um menino forte – ela sorriu pra ele que respondeu ao sorriso se cobrindo com o edredom azul.
-Boa noite, tia – ele disse fraco e aquilo partiu o coração de Demi.
-Boa noite, meu amor – ela respirou fundo e se levantou saindo do quarto com lágrimas nos olhos.
Joe foi até o filho e o desejou boa noite depositando um beijo meigo em sua testa, ajeitou o lençol e foi atrás de Demi, seu coração parecia que ia saltar para fora, batia assustadoramente rápido, era muita coisa para entender, muita coisa para resolver, não sabia o que falar pra ela, não sabia por onde começar, estava confuso, preocupado com Ronan, carente e abalado demais com tudo isso, eram muitos sentimentos misturados.
-Demi – chamou baixo, ela estava sentada abraçando as pernas com o rosto escondido pelos joelhos, parecia uma criança indefesa, ele se aproximou e se sentou ao lado dela – Demi- chamou mais uma vez e ela o encarou com o rosto cheio de lágrimas.
-Era pra eu estar te consolando, né – riu sem humor – como a vida pode ser tão injusta, por que não comigo?
-Shi – ele se aproximou mais e enxugou algumas lágrimas – não fala isso nem brincando – respirou fundo – eu não posso desmoronar na frente dele, fiz isso no hospital, me doparam e eu fiquei a tarde toda sem apoia-lo, ele precisa que estejamos bem, e ao lado dele, a toda hora, ele não pode ver que estamos desistindo pra não desistir também.
-Uhum – Demi disse baixo – o que tem que ser feito agora?
-Amanhã cedo eu vou começar a ligar para as clínicas, a doutora fez uma relação das melhores que tem por aqui.
-Joe, eu – ela disse mas se auto interrompeu com medo da reação dele.
-O que? Pode falar.
Ela respirou fundo e soltou tudo em um fôlego só.
-Eu quero pagar o tratamento dele, quero que ele tenha o melhor, mesmo que tenhamos que ir pra outro país.
-O QUE? – ele perguntou incrédulo – eu não dependo de você, Demetria.
-Não estou falando isso, Joseph – ela disparou no mesmo tom – esse orgulho besta vai prejudicar ao Ronan.
-Não é orgulho, Demetria, só não preciso de você.
-Eu sei disso – ela voltou a chorar – sei que você não precisa de mim, e eu não estou aqui por você, estou por ele, droga, Joseph, eu não quero que ele morra.
-Ele não vai morrer – Joe se desesperou com a ideia.
-Ficando aqui? – Demi perguntou – tem certeza? Eu posso leva-lo pra qualquer lugar do mundo, ele terá o melhor.
-O melhor pra ele é se sentir em casa, comigo e com a família dele.
-Eu desisto, eu desisto de você e desse seu egoísmo – ela disse, tinha uma mágoa no olhar que fez com que ele se desse conta do que fizera – você não entende, eu to tentando te ajudar, tudo que eu tenho feito desde o inicio é estar com você e melhorar você porque eu sei como a vida foi dura, como tudo isso aconteceu e ainda vem essa do Ron, mas eu to vendo que é impossível, impossível tentar te fazer feliz, eu já percebi que não sou boa o suficiente pra você, pode parar de jogar isso na minha cara, ok, eu só tentei ajudar.
Ela se virou pra sair dali mas ele a puxou pelo braço antes que ela abrisse a porta, Joe também chorava, sabia que tudo que ela tinha falado era verdade, ele era covarde, egoísta e vivia no passado, mas ao mesmo tempo ele sentia falta dela, falta daquele sorriso, e pela primeira vez ele se sentiu a vontade para fala tudo que escondia até então, tudo que ficou pensando por esses meses longe dela.
-Me perdoa – pediu olhando-a dentro dos olhos – me desculpa, eu sou assim, quer dizer, eu não consigo abandonar tudo, é mais forte que eu, mas isso não quer dizer que eu não sinta nada por você, pelo contrário, eu senti tanto a sua falta, você não faz ideia – ela ouvia a tudo atentamente se desmanchando a cada palavra – eu perdi a conta de quantas vezes fui dormir ouvindo suas musicas ou chorei assistindo esse bendito DVD que você deu para o Ronan – ele fez um carinho no rosto dela – a Taylor foi uma parte linda da minha vida, mas eu sei que até ela quer que eu seja feliz, e sinceramente, eu não me vejo feliz se não for com você.
Aquelas palavras fizeram o coração de Demi parar por uma fração de segundos começando a bater desesperadamente logo em seguida, ela estava feliz demais com cada frase dita, com cada olhar intenso, com aquele carinho que a fazia sentir especial, ele se aproximou dela querendo matar as saudades e quando seus lábios finalmente se encostaram ela se afastou subitamente.
-Demi – ele suspirou – desculpa, eu não consigo fazer mais do que isso, mas foi totalmente sincero, eu prometo.
-Eu sei – ela disse baixo e se soltou dos braços dele encarando todas aquelas fotos da Taylor a sua volta, voltou a encara-lo com lágrimas nos olhos – mas eu sei também que palavras iludem demais, e eu passei da idade de ficar esperando por atitudes que nunca virão.
-O que você quer que eu faça? – ele perguntou derrotado.
-Só o fato de me fazer essa pergunta já me prova muita coisa – ela disse e se virou mais uma vez pra sair dali.
-Demi – ele chamou e ela se voltou pra ele mais uma vez já com a mão na maçaneta da porta, lentamente foi até a aliança e retirou-a do dedo, ela abriu a boca surpresa – me ajuda a superar o resto?
Ela sorriu emocionada e foi até ele sem esperar nem um segundo para beijá-lo, como sentia falta disso, como se sentia bem ali, era incrível como eles se completavam, ele tinha o que ela precisava e ela tinha pra oferecer o que ele precisava também, por um segundo tudo ficou bem, o pesadelo acabou porque ambos sentiam que podiam superar tudo, contanto que estivessem juntos.

Postei rápido, viu ? Comentários ? xx