segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

I Love You To The Moon And Back - Capítulo 14


Capítulo 14

-Joe – uma voz feminina o chamou, mas ele ainda estava tão envolvido com sua dor que não reconheceu de imediato – eu to indo pra casa, volto mais tarde – ele se virou já que sua mente parecia lhe pregar uma peça em não identificar a voz, encontrou Miley com a filha no colo – Dona Denise acaba de chegar e ela vai ficar com você aqui até os resultados saírem, a noite eu venho.
Lá estava o Joe em estado robô mais uma vez, concordou com a cabeça de forma mecânica e voltou a fitar o vazio, Miley não disse mais nada, não adiantaria, saiu dali ainda preocupada demais para exigir qualquer mudança de comportamento dele.
Depois de muito tempo, tempo esse que ele não fazia ideia de quanto porque estava completamente desligado, alguém voltou a incomoda-lo, ele olhou e sua mãe o encarava de forma doce.
-Vem comigo, filho, saíram os resultados – ela sorriu de leve e ele se levantou completamente atordoado.
-Doutora, como ele tá? – Joe se manifestou de forma racional pela primeira vez desde que chegara ali.
-Eu preciso que você se acalme, Joseph – ela disse séria.
-Eu quero vê-lo – ele se exaltou um pouco.
-Ele está dormindo agora, preciso que você me acompanhe – ela manteve a postura profissional e encarou Denise – é melhor a Senhora vir junto.
Joe estremeceu, o tom dela, a seriedade, tudo aquilo pra dar um diagnóstico. Se fosse algo simples ela falaria ali na hora, não é mesmo? De uma vez. Mas não, ela os conduziu até sua sala e sentou em sua cadeira apontando com o queixo para que os dois se sentassem a sua frente.
-Doutora – ele suplicou com a voz baixa, ela o ignorou e clareou a garganta com um barulho mostrando que começaria a falar e não queria ser interrompida.
-Bem, antes de falar o que ele tem, eu preciso de algumas últimas informações pra ter certeza do diagnostico – explicou – ele tem se sentido cansado e abatido ultimamente?
-Sim, sim, ele só queria saber de dormir esses dias – Joe explicou sem entender o que aquilo interferia.
-Reclamou de dor óssea e enjoo?
-Um dia – Joe fixou o olhar pra se lembrar – um dia ele ficou enjoado sim, e ele dizia que sentia uma dor lá dentro – fez aspas – imagino que não era dor muscular porque ele enfatizava que a dor era bem interna.
-Onde era essa dor?
-Na maioria das vezes na altura da cintura, perto de onde apareceu a mancha.
-Além dessa mancha detectamos também pintinhas avermelhadas pelo corpo dele – ela completou e Joe ficou rígido na cadeira.
-Isso quer dizer? – Denise induziu a médica a falar já que seu filho se contorcia na cadeira por medo do pior.
-Isso quer dizer – a doutora retirou os óculos e respirou fundo – que os exames e o relato do pai apontam pra uma coisa, ele teve uma diminuição na produção de glóbulos brancos e na produção de células normais da medula óssea, isso causa diminuição da produção sanguínea.
-O que isso quer dizer?- Denise perguntou de novo, impaciente.
-Detectamos em Ronan um quadro de – ela fez uma pausa – leucemia.
-O QUE? – Joe perguntou desesperado – isso não pode ser verdade, isso é impossível, não, isso não pode estar acontecendo – era impossível saber como ele conseguia falar em meio a tantas lágrimas.
-Joe, calma – Denise pediu também chorando.
-Calma, mãe? COMO EU VOU TER CALMA – voltou a gritar – MEU FILHO TÁ COM CÂNCER.
-Joseph, ainda está no início, nós podemos…
-O QUE? SALVA-LO? – ele ironizou – SALVA-LO COMO FIZERAM COM A MÃE DELE? NÃO, MUITO OBRIGADO.
-Não está tudo perdido assim, Joseph, não seja pessimista – a médica pediu apertando um botão discretamente no telefone – mas você precisa se acalmar para ajuda-lo, ele irá precisar de você.
-COMO EU VOU ME ACALMAR? – ele gritou mais ainda, andava de um lado para o outro completamente atordoado – mãe – parou repentinamente e encarou Denise – eu não vou conseguir sobreviver se eu perdê-lo.
-Você não vai perde-lo, Joseph, não vai.
-Promete? – ele perguntou, parecia uma criança frágil e acuada.
-Prometo – ela disse e foi até ele para abraça-lo, nesse instantes dois enfermeiros entraram e o doparam, carregando-o para algum quarto no hospital.
-COMO ASSIM LEUCEMIA? – Miley perguntou ao telefone, Denise ligara pra ela assim que Joe foi dopado.
-Miley, eu to nervosa, preciso de alguém que me acalme – ela disse embora soubesse que Miley não era a pessoa certa pra acalmar alguém – e eu não sei porque não é só o Ronan, o Joseph já passou por muita coisa, não sei se ele sobrevive a isso.
-Eu acho que sei de alguém que pode ajudar.
-Aquela cantora? – Denise perguntou de forma retória – Miley, não é o momento, ela pode larga-lo de novo e ai mesmo que tudo vai piorar.
-Ele que mandou ela ir embora, Denise – respondeu entre dentes – e ela viria correndo, pelo Ronan, eles se apaixonaram.
-Tem certeza?
-Absoluta – Miley sorriu – eu vou ligar pra ela.
-Parabéns, meninas, show incrível – Justin disse indo dar um selinho em Selena.
-Valeu, Jus – Demi sorriu e se jogou no sofá do camarim – quanto tempo até os fãs entrarem?
-Trinta minutos – Justin respondeu encarando o relógio e entregando uma garrafa d’água para Selena – aproveita esse tempo e por favor liga para a Miley, ela te ligou umas mil vezes.
-E porque você não atendeu?
-Porque o celular não é meu – ele sorriu zombeteiro.
-Imprestável – Demi tacou uma almofada nele e pegou o celular – nossa, vinte e duas ligações perdidas, to até preocupada.
-Puf – Selena riu e se jogou no sofá bebendo sua água – sabe que a Miley é exagerada, não deve ser nada.
-Espero – Demi disse baixo porque sentia que tinha algo de errado – alô.
-DEMI – Miley exclamou – finalmente.
-Desculpa, tava no palco – explicou – aconteceu alguma coisa?
-Você vai estar ocupada por esses dias?
-Na verdade não – Demi piscou um dos olhos pensando – hoje foi o ultimo show da turnê, vou tirar umas férias agora, descansar, por que?
-Tem como você vir aqui?
-Miley, você tá me assustando – ela disse percebendo o tom de voz da amiga.
-O Ronan, ele – Miley respirou fundo – ele tá no hospital e…
-COMO ASSIM? – Demi deu um pulo do sofá – o que ele tem?
-É melhor você vir pra ca, Demi.
-Me diz, Miley, por favor, me diz o que ele tem.
-Demi – Miley enrolou mais um pouco.
-Deixa eu falar com o Joseph – ela pediu, sabia que ele falaria a verdade.
-Ele não pode falar agora, ele tá dopado.
-Ai meu Deus – Demi sussurrou – é sério?
-Ainda não sabemos.
-O que é? – Demi já podia sentir as lágrimas em seus olhos, Selena e Justin a encarava confusos.
-Demi – Miley sussurrou também chorando – ele está com leucemia.
Demi prendeu a respiração no mesmo instante, ouvia Miley chama-la no telefone mas não tinha forças pra responder, seu menino, seu príncipe, estava no hospital com câncer, sem saber de onde, arrumou forças e sussurrou.
-Estou a caminho.

 Oi, comentários ? xx