terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

I Love You To The Moon And Back - Capítulo 23


                                                     Capítulo 23
                       
Alguns meses haviam se passado e o quadro clinico de Ronan não havia avançado, na verdade, havia se agravado um pouco, os médicos decidiram experimentar outros métodos e ele entrou na fila para o transplante de medula enquanto Miley, Nick e Eleanor estavam a caminho para fazer o teste de compatibilidade, Kevin, Dani e Denise já haviam feito junto com a família de Demi e Joe, estavam a espera dos resultados.
-Toma – Demi jogou um chaveiro para Joe e ele pegou no ar, por reflexo.
-Que isso?
-Aqui nós chamamos de chave, de onde você veio eu não sei se tem outro nome – ela debochou e ele revirou os olhos.
-Implicante – suspirou rindo – que chave é essa, Demetria?
-Não vejo nenhuma Demetria por aqui – ela sorriu – tá, sério, é da picape, quero que fique com ela hoje, vou ao aeroporto buscar a Miley e o Nick, você vai para o hospital, mais tarde nos encontramos.
-O QUE? – ele sorriu e pulou feito uma criança – EU VOU DIRIGIR AQUELA PICAPE?
-Ela não anda sozinha ainda, né.
-MEU DEUS – ele correu até o carro e parou admirando-o – MEU DEUS…
-Para de gritar, Joseph – Demi riu da cara que ele fez quando tapou a boca inocentemente pedindo desculpas com o olhar.
-Demi – ele riu – eu sou mecânico, eu entendo disso, nem se eu trabalhasse toda a minha vida eu conseguiria ter uma dessas.
-Serio que é isso tudo? – ela revirou os olhos e foi até ele envolvendo-o pela cintura – sendo assim, pode ficar com ela.
-O QUE? – ele não se conteve em gritar de novo.
-Era do meu pai, mas ele comprou outra e essa ficou ai – deu de ombros – eu pedi pra mim já que gosto de carros grandes mas não deu muito certo, não dava altura – riu de si mesma – está no meu nome, pode ficar, assim que tivermos um tempinho eu passo ela para o seu nome.
-Eu não posso…
-É claro que pode, Joe – ela o beijou de leve.
-Mas eu nunca vou poder te recompensar por isso – ele abaixou a cabeça.
-Você já recompensou, você realizou meu maior sonho, o sonho de ter uma família, eu, você e o Ron somos uma agora.
Joe sorriu e a pegou pela cintura abraçando-a forte.
-Obrigado – ele sussurrou no ouvido dela, beijando-a ali.
-Eu que agradeço, por tudo – ela respondeu sorrindo de leve e se afastando do abraço – vamos, estamos atrasados.
Joe ligou o carro sorrindo, deu um selinho em Demi pela janela e saiu, quando ela se preparava para entrar em seu carro, sua mãe a chamou.
-Demi – Dianna disse se aproximando – o que ta acontecendo, hein?
-Oi, mãe – Demi sorriu – como assim “o que está acontecendo?” – imitou a voz da mãe e torceu o nariz, sendo que todos da família já sabiam do namoro.
-Você acabou de dar o seu carro para o seu namoradinho de alguns meses.
-Anda escutando a conversa dos outros agora, é? – Demi respondeu ainda na brincadeira – isso é feio, Dona Dianna.
-Estava vindo te pedir um pouco de café que seu pai esqueceu de trazer e ouvi por acaso – explicou – estou preocupada com isso.
-Como assim? Com o que?
-Com esse namoro – Dianna respirou fundo – Demi, minha filha, você tem que ir com calma, vocês estão juntos há alguns meses e você diz ao rapaz que ele e o filho são sua família? Tudo bem que eu nunca te vi tão feliz assim, ele te faz muito bem e é por isso que todos aqui apoiam esse relacionamento, mas da uma segurada as vezes é bom, viva cada coisa de uma vez.
-Ok, mãe – Demi suspirou e elas se abraçaram – eu tenho que ir, eu to atrasada.
Dianna apenas sorriu e observou a filha saindo com o carro, ela tinha medo de que Demi se magoasse, apostasse demais em algo que poderia não ter futuro, deu de ombros e voltou para casa, já tinha feito o que estava em seu alcance.
-DEMIIIIIIIIIIIIIIIIII – Miley gritou assim que a viu parada no saguão.
-Isso, grita mais, pra brotar fã até do chão – Demi ironizou, estava preocupada com o que Denise dissera, não estava com cabeça pra nada no momento.
-LIKE A SKYSCRAPER – Miley cantarolou sorrindo e Demi não pode deixar de acompanha-la – saudades – elas se abraçaram.
-Muita – Demi sorriu e encarou Nick enrolado com o carrinho com as malas – ajuda ai, caipira?
-Nossa, a mocinha da cidade grande vai me ajudar? – brincou e ela foi até ele abraçando-o.
-Sou uma menina educada – ela brincou e pegou o carrinho – cadê a Eleanor?
-Ficou com a minha mãe – Nick disse – queremos uma segunda lua de mel.
-Longe dos meus lençóis – Demi disse rapidamente.
-Ah, claro – Miley riu com ela.
Eles seguiram rapidamente para a clinica, Joe e Demi não haviam contado do namoro, queriam fazer uma surpresa, fingiriam que estavam brigados , quando eles chegaram, foram direto para o quarto, Miley e Nick queriam passar a tarde com Ronan.
-SÃO ELES? – o pequeno quase gritou quando ouviu passos próximos a porta.
-Deve ser – Joe respondeu – não esquece o trato, hein.
Ronan sorriu, ele era cúmplice na história toda.
-Oi – Demi disse abrindo a porta devagar – tenho visitas.
-SURPRESA – Miley pulou para dentro do quarto.
-Miley, isso é uma clinica, se controla – Joe disse rindo.
-Mas já chega assim, brigando comigo?
-Ele anda irritadinho – Demi ironizou, revirou os olhos e se jogou na poltrona enquanto Miley e Nick abraçavam Ronan.
-Não começa, Demetria – Joe fechou o punho e respirou fundo.
-Ih, o que ta acontecendo? – Miley perguntou.
-É impossível conviver com essa garota mimada – Joe soltou.
-Você que é um bruto e completamente idiota e orgulhoso – rebateu Demi estreitando os olhos.
-Eu achei que eles estivessem bem – Nick disse e Miley fez cara que não tava entendendo nada.
-Bruto e orgulhoso? – Joe fingiu não acreditar – você que acha que eu dependo demais de você, mas não, não dependo.
-Eu não to fazendo nada por você, absolutamente nada, na verdade, eu nem me importo com você, Joseph…
-OK, JÁ CHEGA – Miley se intrometeu – o que deu em vocês dois?
-Essa garota – Joe rebateu – essa garota que é completamente – fez uma pausa – linda, talentosa, é a menina mais incrível que eu já conheci.
-Não acredito que isso foi pra tirar com a nossa cara – Nick bufou.
-Estamos namorando – Demi disse e olhou para cara deles – surpresa – completou sem graça.
-Cachorra – Miley soltou rindo.
-Espera – Joe interrompeu a todos – agora eu tenho uma surpresa.
-Que? – Demi perguntou assustada – como assim?
-Bem – ele respirou fundo e se ajoelhou – você aceita se casar comigo? – estendeu uma caixinha.
-NÃO – Demi soltou assustada.
-Não? Não? Como assim? – Joe se desesperou.
-NÃO – ela se consertou – esse não foi de “não acredito”.
-Como não?
-Não de tipo, surpresa – Demi explicou.
-Que confusão, gente – Miley disse rindo – responde logo, Demi.
-SIM – ela gritou e ele continuou ajoelhado – agora foi a resposta mesmo, Joe, sim, eu aceito, é claro que eu aceito.
Ele riu ainda tentando assimilar tudo e se levantou pondo  a aliança no dedo dela, eles sorriram e se beijaram intensamente ali no meio do quarto, ele estava pensando nisso há dias, sorriu ao ver que poderia ter em sua vida a mulher que lhe trouxera a felicidade de volta, dessa vez, para sempre.

 Ooooooooooi, e aí ?  To com peninha do Ron, gente, e vocês ? Comentário ? xx


Ps: Gente, lembrando que sexta-feira sai o Leitora Do Mês. A leitora vai ganhar um super spoiler a respeito do final da fic. Fiquem ligadas e ganhem pontos!

domingo, 24 de fevereiro de 2013

I Love You To The Moon And Back - Capítulo 22



                                                     Capítulo 22 

Demi estacionou em frente ao hotel em que a banda One Direction estava hospedada, pegou o celular e mandou uma mensagem para Niall avisando que estava ali e minutos depois ele apareceu, usava uma regata branca, uma bermuda qualquer e um boné verde, ajeitou os óculos escuros que o deixavam ainda mais irresistível e sorriu abrindo a porta do carro.
-Ei, Demi, finalmente – ele alargou o sorriso e a cumprimentou com um beijo delicado no rosto.
-Pois é – Demi sorriu também – topei sair com você por pena, estava ficando chato você falando de mim em todas as entrevistas.
Eles riram juntos e Niall se acomodou no banco maneando negativamente com a cabeça enquanto Demi dava a partida.
-Não posso fazer nada se eu estava certo – olhou-a de lado – você realmente é a menina mais linda do mundo.
-Eu sei – disse convencida mas de forma irônica – sou a menina mais bonita do mundo.
-É mesmo – ele se manteve firme em sua opinião – não só pra mim, mas pra milhares de outros caras.
Demi concordou com a cabeça e logo eles emendaram em outros assuntos, almoçaram juntos e ela o deixou na porta do hotel quando estavam voltando, foi perfeito cada segundo, eles riam de tudo e dividiam historias hilárias de infância, as vezes Demi implicava com o inglês dele e o imitava, o que fazia com que ele se irritasse um pouco.
-Finalmente, não aguentava mais esse sotaque – ela riu desligando o carro.
-Gostou pelo menos da companhia? – ele riu e voltou a falar rápido antes que ela respondesse – sem considerar meu sotaque, por favor.
Demi soltou um riso baixo, abafado e o encarou.
-Foi legal.
-Só isso? – ele se fingiu ofendido.
Ela voltou a rir da cara dele.
-Você é um ótimo amigo, Niall, eu amei cada segundo – sorriu de leve.
-Melhorou – ele torceu o nariz formando uma expressão engraçada – vou lá que temos passagem de som daqui a pouco.
-E eu uma entrevista – Demi rolou os olhos.
-Boa entrevista – ele sorriu – e obrigado por sentir pena de mim e aceitar sair com um mero fã.
-Valeu a pena o esforço – ela brincou e ele sorriu abrindo a porta do carro.
-Até mais – se debruçou na janela e bateu rapidamente os dedos fazendo um ritmo qualquer.
-Até – Demi engatou a marcha e sorriu abertamente dando partida.
-Pai – Ronan chamou baixo encarando Joe que andava de um lado para o outro – é a sua vez, é a parte que o capitão chega – ele explicou encarando o boneco em sua mão.
-Desculpa, Ron – ele disse sincero, estava preocupado com Demi, na verdade, preocupado com o que ela faria, sussurrava para si que precisava confiar nela, encarou o relógio e suspirou aliviado – hora da entrevista da Demi, vamos ouvir?
Ronan sorriu em resposta e se acomodou na cama enquanto Joe sintonizava a estação no celular, colocou no alto-falante e se deitou ao lado do filho, ouviram algumas musicas até começar a introdução de uma conhecida, era uma musica da Demi, mas estava apenas o instrumental ao fundo e a voz do locutor se sobressaía apresentando-a.
-Boa tarde, Demi.
-Boa tarde – ela respondeu empolgada e Joe estremeceu, então a tarde havia sido boa.
-É um prazer te ter aqui – o homem disse também empolgado e Joe ouviu um suspiro de Demi que imaginou ser uma risada fraca em agradecimento – vamos começar – a voz masculina fez uma pausa – como foi a experiência de sair em turnê com sua melhor amiga?
-Foi incrível – Demi respondeu sem conter o interesse no assunto – quero dizer, quando se está em um ônibus com a sua melhor amiga, o namorado folgado dela é incrível.
-Tem alguma história engraçada para compartilhar?
-Bem – Demi deu continuidade – todas as noites eu e Selena fazíamos a nossa “noite das garotas” enquanto forçávamos Justin a ouvir musicas de mulherzinha e conversas bem feministas – disse naturalmente – mas passamos por cidades muito pequenas, e em uma dessas o ônibus quebrou e ficamos hospedados na casa dos donos da oficina mecânica porque na cidade não tinha hotel.
-Está brincando – o homem disse com tom de surpresa incentivando Demi a continuar a história – como foi ficar lá?
-Passamos pouco tempo lá, logo fomos para a cidade vizinha ficar em um hotel, mas foi uma experiência incrível – pelo tom de voz, Joe sentiu que ela sorria, e ele sorria também – conheci pessoas que pretendo manter contato, pessoas incríveis, simples e de caráter.
-Isso está em falta hoje em dia – o rapaz comentou – falando em conhecer gente nova, como anda seu coração?
-Bem, obrigada – Demi respondeu no sentido literal sem querer aprofundar o assunto.
-Que bom – o entrevistador riu sem humor – mas eu quero dizer, você está saindo com alguém no momento? Niall talvez – Joe gelou, por que estavam falando dele? – sabemos que o loirinho está sempre falando o quão bonita e talentosa você é, muitos fãs torcem por vocês.
Houve um breve silencio, Joe deduziu que ela estivesse escolhendo as palavras certas.
-Bom – Demi começou e respirou fundo, ele sabia que ela estava estreitando as sobrancelhas, sempre fazia isso quando pensava – o Niall é um menino – ela deu ênfase na palavra menino – fantástico, lindo e também muito talentoso – uma pontada aguda de ciúmes bateu em Joseph – mas ele é apenas um bom amigo, conversamos muito por skype e fomos almoçar juntos hoje – disse sem se preocupar com o reboliço que isso causaria – mas digo aos meus fãs, nunca haverá um “Diall” – ela sorriu baixo com o apelidinho bobo – digo, ele será sempre um bom amigo e eu estou muito feliz com a minha condição amorosa agora – Joe sorriu porque ela praticamente soletrou essa ultima frase e ele sabia que ela estava lhe falando isso.
-Isso quer dizer que você está solteira?
-Sim – ela soltou o ar pelo nariz – estou solteira, não tenho um namorado.
-Então, continuem tentando, rapazes – o homem brincou – vamos falar do seu próximo cd…
Nesse momento Ashley entrou no quarto sorrindo por simpatia e encontrou Joe e Ronan encarando o celular em silencio, vidrados.
-Uhum – limpou a garganta para que pudessem olha-la, e deu certo, Joe apertou um botão calando a entrevista e se virou pra mulher na porta – hora dos medicamentos, mocinho.
O pequeno fez uma careta mas tomou os remédios sem reclamar muito, horas depois pegou no sono, alguns tinham esse efeito, o deixavam sonolento.
-Posso falar com você um instante? – Joe perguntou.
-Claro – Ashley sorriu ainda mais – alguma duvida?
-Gostaria de saber – ele fez uma pausa e levantou as sobrancelhas – de verdade – seu ênfase – como ele tá e como anda o tratamento.
-Ele está bem – ela garantiu – por enquanto estamos observando os efeitos da medicação, para não ter que submetê-lo a algum tratamento mais sério.
-Tipo – Joe engoliu seco – quimioterapia ou algo assim?
-Exatamente – Ashley disse – começamos com os remédios que servem para bloquear a proteína anormal presente na maioria das células de leucemia, matando-as.
-E está dando certo?
-Ainda não podemos afirmar com certeza, por enquanto o quadro dele continua o mesmo – ela explicou mostrando alguns papéis – mas ele é forte e creio que tudo terminará bem – sorriu gentilmente.
-Espero – Joe sorriu pra ela também – e se os remédios não derem certo, ai vai para…
-Joseph, acalme-se – Ashley disse ficando séria – esses tratamentos intensivos são nossas ultimas opções no caso de Ronan – ela explicou – ainda temos as vacinas com antígeno ou até um transplante, mas o caso dele ainda não é tão grave pra isso.
-Ainda – Joe repetiu a palavra, aterrorizado.
-Está tudo no começo ainda, temos que ser positivos – ela completa com calma – mas temos que considerar todas as hipóteses.
Ele concorda com a cabeça em silencio e se vira para encarar o filho, sereno, dormindo como um anjo.
-Eu só queria vê-lo crescer – não conseguiu impedir uma lagrima de se formar – queria poder assistir enquanto ele realizasse seus sonhos, ele poderá ser o que quiser – ri sem humor – até um dinossauro – ri um pouco mais lembrando de quando seu filho disse que queria ser um dinossauro quando crescesse.
-Ele será – ela estendeu a mão e afagou carinhosamente o braço dele – ele será o menino mais incrível do mundo, crescerá forte e será um belo dinossauro.
Joe soltou uma risada falha e a olhou, agradecendo-a em silencio, ela entendeu o recado e sorriu sem mostrar os dentes, compreensiva, mas seus olhos denunciavam um outro sentimento, o de pena, mas não podia deixar transparecer isso, não na frente dele.
-Bom – Joe limpou as lagrimas – era só isso, obrigado pelos esclarecimentos.
-Por nada – ela respondeu se virando – qualquer coisa, pode chamar, eu só volto no fim da tarde, para dar-lhe banho e trazer o lanche.
-Tudo bem – Joe a acompanha até a porta do quarto – até – ele sorri e ela acena com a cabeça saindo – obrigado de novo – ele diz e Ashley vira de costas concordando com a cabeça, quando volta seu corpo pra dentro do quarto encontra Demi parada no corredor, na direção oposta em que a enfermeira havia saído, de braços cruzados ela o encarava, com raiva.
-Posso saber o motivo de ter agradecido ao bambu mãe de santo? – perguntou entrando no quarto e colocando a bolsa na poltrona, se sentando logo em seguida, cruzou as pernas e levantou uma sobrancelha esperando a resposta.
-Por um almoço romântico em um restaurante chique é que não foi – devolveu a resposta ironicamente se referindo ao encontro com Niall enquanto fechava a porta.
-Não foi um almoço romântico, Joseph, você sabe disso – respondeu irritada – achei que fosse um pouco mais esperto.
-Eu sou esperto – ele disse e fez uma pausa – só que agora eu não to entendendo onde você quer chegar.
-Ouviu a entrevista?
-Uma parte sim – ele disse ainda sem entender muito.
-A parte “eu estou muito feliz com a minha condição amorosa agora” – ela repetiu com a mesma entonação anterior – foi pra você, seu idiota.
-Isso eu percebi – ele observou levantando o dedo indicador – o problema é que você está tendo ciúmes de uma enfermeira que seremos obrigados a conviver por um tempo, e eu nem a chamei pra almoçar.
-Para com essa obsessão pelo Niall, ele é só um amigo, acredita em mim – pediu mais com os olhos do que com as palavras, Joe suspirou – e eu não estou com ciúmes daquela varapau.
-Eu acredito em você – ele se agachou em frente a poltrona – mas pode admitir seus ciúmes, você fica fofa assim, emburradinha.
-Vai te catar, Joseph, eu não to com ciúmes – bufou e deu um tapa nele.
-Mas que nervosa – ele ironizou – eu acredito em você e quero que acredite em mim também – em um movimento rápido ele se aproximou do rosto dela, segurando-o entre as mãos – eu to com você, você que eu escolhi depois de todos esses anos, você que me faz bem, feliz, me completa, você e mais ninguém.
Ela sorriu e o puxou pela nuca beijando-o intensamente, ele se sentou no braço da poltrona e passou a mão pelo cabelo dela, descendo até o ombro, traçando uma linha imaginária com seu carinho, de repente foram interrompidos com o barulho da porta, se separaram rapidamente e encararam Ashley imóvel olhando pra eles tentando disfarçar algumas lágrimas.
-Desculpa – ela gaguejou um pouco – eu esqueci de – espremeu os olhos e engoliu seco – anotar algumas coisas, e… – resolveu parar de falar e encarou o casal.
-Tudo bem – Joe disse sem jeito.
Ela caminhou em silencio e anotou algumas coisas nos papeis presos a prancheta, sorriu de leve para os dois como um outro pedido de desculpas e saiu do quarto.
-Algo me diz que ela não pretendia anotar nada – Demi disse fazendo carinho na nuca de Joe.
-Como assim? – ele perguntou confuso.
-Depois diz que é esperto – ela sorriu mas logo voltou a ficar séria – sobre o que vocês conversaram mais cedo?
-Sobre o tratamento do Ron – ele disse ainda sem entender onde ela queria chegar.
-Nada mais “pessoal”? – Demi perguntou fazendo aspas com os dedos.
-Não – ele deu de ombros – apenas comentei o de sempre, perguntei do tratamento e disse que tinha medo de perde-lo.
-Ela achou que você se abriu com ela – disse convicta.
-De fato – ele curvou a boca pra baixo e deu de ombros – não chorei horrores e disse tudo da minha vida – suspirou – mas disse que gostaria de vê-lo crescer e tal, e ela tentou me consolar – ele escolheu as palavras com medo de que Demi entendesse errado.
-Relaxa, Joe, não vou te bater por isso – ela riu sem vontade – só que a Ashley pode ter entendido errado, provavelmente ela voltou aqui pra te convidar pra sair.
-Como você sabe?
-Estava estampado no rosto dela quando ela entrou suas reais intenções – Demi explicou se ajeitando na poltrona – ela tinha esperanças de te ver sozinho, ou até comigo, mas como amiga, seu rosto se desmontou como um castelo de cartas.
Joe fez um biquinho, pensativo, encarou Demi.
-Não era a minha intenção iludi-la.
-Eu sei que não – respondeu compreensiva passando os dedos da nuca para a orelha dele, se concentrando ali – mas você precisa conversar com ela.
-Falar o que? – ele perguntou se apavorando por um instante.
-Se ela perguntar algo, assuma nosso namoro, é melhor ser franco com ela, pelo menos com ela.
-E se ela não for de confiança? – Joe perguntou sério – se ela contar para a imprensa?
-Ela iria a falência com isso – Demi explicou – eles assinaram um termo de sigilo, toda a equipe médica daqui, eles não podem comentar nada pessoal entre nós, isso inclui o Ron também.
-Ela vai ficar pobre mas a sua vida pode virar um inferno – Joe alertou – se ela for fria o suficiente pra não ligar para as consequências? Digo, seus fãs podem te odiar por mentir.
-Meus verdadeiros fãs não me odiarão porque omiti um relacionamento – explicou – fiz isso por vocês e principalmente por Ronan, eles entenderão.
-Ok então – Joe suspirou – aparentemente você sabe bem o que faz – sorriu e deu um selinho rápido nela – e se a Ashley falar ou tentar alguma coisa, eu falo de nós.
Demi sorriu concordando e o puxou pra mais um beijo que foi se intensificando ali, na poltrona mesmo, quando eles ouviram algo que os separou repentinamente.
-Pai?
-Ro..Ron – Joe gaguejou envergonhado.
-Ei, tia, eu te ouvi no rádio – ele virou para Demi sorrindo parecendo nem ligar para a cena que acabara de ver, ela respondeu o sorriso com a mesma intensidade.
-É mesmo? – se levantou e foi até ele – o que achou?
-Sua voz estava diferente – ele torceu o nariz – mas eu gostei.
Demi sorriu e beijou delicadamente a testa do menino que fechou os olhos por instinto, voltando a abri-los preguiçosamente, se esticou na cama e fez força para se sentar.
-Não adianta ficar me olhando assim – ele continuou em tom divertido – eu sei que vocês estão namorando.
-Como você é um menino esperto – Demi disse corada e se virou pra Joe que se divertia com a cena – ta vendo, isso é ser esperto, você não é esperto.
-Ei, não me ofenda, ok? – ergueu as mãos se defendendo.
-Tudo bem pra você, Ron? – Demi se voltou novamente pra ele sorrindo – eu e seu pai…
-Tudo bem – o menino respondeu sincero – eu amo a minha mãe, mas ela ta só na foto, vai ser legal ter uma mãe de verdade.
Demi sentiu as pernas fraquejarem de emoção, encarou Joe e tentou dizer algo, mas nada saiu da sua boca, virou pra Ronan de novo e fez um carinho em sua cabeça, como ela o amava, como o amava como um…filho? Se perguntou mas logo teve a resposta, porque ele sorriu e ela sentiu o quanto ele era importante pra ela e o quanto ela se sentia ligada a ele.
-Bom saber – ela se abaixou e beijou lentamente seu rosto, se sentou ao seu lado e o encarou, parecia tão frágil e dependente dela – porque eu já te amo como um filho.
Ele sorriu inocente e, sem saber o porquê, começou a chorar, pulou no colo dela e eles se abraçaram fortemente enquanto Joe assistia a cena também emocionado, era disso que ele precisava pra se sentir completo, agora ele sentia que realmente tinha uma família, uma família ligada pelo sentimento mais forte e puro que poderia existir, o amor.

Ai, gente, to ficando depressiva! A fic ta acabando :( O Ronan é um fofo, né ? Fala sério. Enfim, comentários ? xx

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

I Love You To The Moon And Back - Capítulo 21


                                                      Capítulo 21
Obs: Leiam as notas finais!

Ainda era manhã quando eles chegaram na clinica, Demi usava uma roupa simples, uma camiseta de banda, short jeans rasgado, uma meia calça e um tênis qualquer, estava de óculos escuros e um coque alto com a franja solta, ela desligou o carro e se virou pra ele.
-Não vou poder ficar a tarde aqui.
-Por que? – ele perguntou.
-Tenho uma entrevista em uma rádio local – deu de ombros – mas é coisa rápida, eu volto no fim da tarde.
-Tudo bem – ele sorriu – mas por que você ficou séria do nada? Aconteceu mais alguma coisa?
-Bom, temos que ser sinceros um com o outro agora, né?
-Sempre – ele respondeu, tinha um tom de preocupação em sua voz, ou até medo, medo dela ter feito algo que a prejudicasse, medo de seus problemas terem aparecido.
-Relaxa, não é nada do que você está pensando – ela riu com a típica frase e ele riu junto – é que eu não namorava há muito tempo e com toda certeza do mundo vão me perguntar hoje nessa entrevista se eu estou solteira, e para o nosso bem eu acho melhor manter isso em segredo por enquanto.
Ela falou meio receosa, tinha medo de que ele pensasse que ela tinha vergonha de assumir ou algo assim, mas ele só respirou fundo tentando entender tudo e perguntou:
-Por que?
-Porque eu acho que não é o momento – foi sincera – quando descobrirem, o assédio vai triplicar e vai ser horrível, a gente ta passando por isso junto com o Ronan, e acredite em mim, esses paparazzi invadem até a sua casa se for preciso, e eu não quero forçar vocês dois a conviverem com isso, não agora.
Ele respirou fundo mais uma vez e encarou o nada.
-Eu concordo – disse – mas acho que não vamos conseguir esconder por muito tempo, quero dizer, esses caras estão sempre atrás de você.
-Me desculpe por isso – ela suspirou e ele a beijou de leve.
-É um preço a se pagar – fez carinho no rosto dela com os dedos, as vezes descia para brincar com as mechas do cabelo – você é perfeita demais, tinha que ter alguma coisa atrapalhando.
-Perfeita? – ela riu sem humor – Joseph, eu…
-Shi – ele colocou o indicador sobre os lábios dela, sabendo dos seus comentários de baixa autoestima – é perfeita pra mim, não me importo com os outros – ele semicerrou os olhos – ou tem mais alguém que você queira agradar?
-CLARO QUE NÃO – ela respondeu fingindo estar ofendida dando um tapa de leve no braço dele – obrigada.
-Pelo que? – perguntou meio desconfiado, o perfume dela tomava conta do carro deixando-o meio desnorteado.
-Por me fazer sentir perfeita.
Ele apenas sorriu antes de puxa-la para um outro beijo, dessa vez demorado e apaixonante, mas ele se afastou de repente fazendo uma careta.
-Aconteceu alguma coisa? – Demi perguntou assustada.
-Porque o freio de mão existe? – ele riu passando a mão na lateral da barriga que estava apoiada na alavanca do freio de mão, Demi apenas gargalhou da cara dele de insatisfeito.
-Vamos entrar – ela finalmente disse sorrindo de leve, eles contornaram o carro e entraram separados um do outro pra não levantar suspeitas embora quase toda equipe da clinica tivesse assinado um termo de sigilo sobre o caso de Ronan e o envolvimento de Demi.
Joe abriu a porta do quarto silenciosamente, não queria acordar Ronan, mas já era tarde, quando abriu por completo, ele encontrou um par de olhos azuis o encarando, o pequeno sorriu entusiasmado e olhou para a enfermeira.
-Viu, ele que é meu pai.
-Ele é mesmo muito bonito – a simpática enfermeira respondeu, ela tinha um cabelo castanho e repicado até pouco abaixo dos ombros, olhos esverdeados e um corpo esguio.
-Que história é essa? – Joe perguntou sorrindo sem jeito e indo até o filho se deitando ao seu lado.
-Ronan me mostrou um desenho que fez de vocês – a moça sorriu – ele me disse que você era bonito.
Joe pode sentir uma pontada de sensualidade na forma que ela falou, mas ficou só na tentativa, não causara nenhum impacto nele, não o que ela esperava, então sorriu e revirou os olhos.
-Agradeço – disse indiferente e se virou pra Ronan – como você está?
-Bem – ele respondeu, realmente parecia melhor, já estava recuperando o rubor natural nas bochechas e o sorriso já não tinha o aspecto forçado – a tia Demi não veio?
-Veio – Joe sorriu bobo – ela ta falando no telefone, já vai entrar.
Ronan sorriu mais dessa vez, ele amava Demi, amava a forma que ela o tratava, as vezes imaginava como seria se ela fosse sua mãe, a porta se abriu rapidamente e ela entrou ainda se despedindo de alguém no telefone.
-Sei onde é sim, combinado, eu que agradeço – sorriu como se a pessoa do outro lado da linha pudesse vê-la – tchau – desligou o celular e encarou o menino, não pode deixar de sorrir abertamente – Ron – quase gritou, encostou a porta e correu até a cama se sentando perto dele – como…
-To bem – ele respondeu prevendo a pergunta e revirou os olhos, o que a fez rir – tia Demi, olha, essa é minha amiga – apontou para a enfermeira que anotava alguns dados em papéis.
A moça levantou o rosto e corou ao ver Demi, abaixou o rosto sorrindo de fora frágil.
-Olá – Demi disse simpática – que bom que você tem alguém pra fazer companhia.
-Pois é – Ronan respondeu – hoje mais cedo fizemos um desenho juntos – ele pegou o papel – olha só.
Demi encarou o desenho, parecia o que ela tinha ganhado, mas no lugar dele, estava a enfermeira, ela reconheceu os olhos verdes e o cabelo, e claro, o boneco mais parecia um palito com roupa branca.
-Mas que lindo – Demi fingiu-se de desentendida – essa aqui é você?
-É sim – Ronan respondeu antes que a enfermeira pudesse abrir a boca – ela disse que o papai era muito bonito e perguntou se eu podia entrar pra família.
-Mas era uma brincadeira – a menina se consertou rapidamente – eu só disse que poderia me desenhar.
-Não tem porque se justificar – Joe se levantou ficando sentado ao lado de Ronan – ficou bonito o desenho.
Demi lançou um olhar mortal pra ele e ergueu uma sobrancelha, encarou de novo a enfermeira que mais parecia um esfregão de tão magra, revirou os olhos e respirou fundo.
-Exatamente – ela sorriu – não tem o porquê de se justificar – encarou a menina a sua frente mais uma vez – qual é o seu nome?
-Ashley – ela respondeu baixo.
-Gostei do seu cabelo, Ash – Demi disse divertida – posso te chamar assim, né? Digo, amiga do Ronan é minha amiga também.
-Claro – ela sorriu vendo que Demi não tinha nada contra ela – pode sim, eu sou fã da sua musica.
-Jura? – respondeu surpresa, e de fato estava – é um honra pra mim.
Ela sorriu e pediu licença saindo do quarto ainda meio sem graça.
-Parte da família? – Demi perguntou encarando Joe friamente – não tem porque se justificar?- repetiu cruzando os braços – FICOU BONITO O DESENHO – imitou ele gritando – O QUE FOI ISSO, JOSEPH?
-Eu queria ser educado – ele ergueu as mãos mostrando que não havia feito de propósito, mas tinha um sorriso besta no rosto.
-Odeio que me provoquem ciúmes, odeio – ela disse entre dentes.
-Eu não provoquei – Joe se defendeu mais uma vez e ela pegou o celular digitando rapidamente um numero – o que você vai fazer? Mandar me matar? – ele riu da piada mas Demi continuou séria.
-Alô – disse de forma sedutora e Joe estremeceu, mesmo sabendo que não tinha sido pra ele, ela tinha esse poder – to ótima, e você? – ela continuou com o tom sensual – que bom, liguei pra saber se você está na cidade ainda – ela esperou a resposta e sorriu vitoriosa – ótimo, ótimo, vou adorar te mostrar a cidade…
-Não se paga mal por mal, Demetria – ele alertou mas ela ergueu o dedo mandando-o ficar quieto.
-Ok, Niall, te vejo daqui a pouco então – sorriu – um beijo, tchau – disse ainda manhosa.
-Naion quem? – ele perguntou e Demi soltou uma gargalhada.
-Niall – repetiu pausadamente – Niall Horan, vocalista de uma boyband inglesa que está perdida nesse lugar há algumas semanas.
-É mesmo? E o que você tem a ver com isso?
-Eu estou sendo educada – ela retribuiu no mesmo tom que ele havia se referido a Ashley antes – estou indo, vou encontrar o Nialler e vou pra entrevista depois, venho mais tarde.
-Juízo, Demetria – Joe bufou.
-Confia em mim, meu amor – ela disse irônica e ele rolou os olhos.
-Acho melhor você não ir.
-Bem, de qualquer forma eu vou pra entrevista e você vai ficar sozinho aqui com aquele bambu de cutucar estrela – ela despejou tudo em um fôlego só.
-Demi, ta bom, já acabou a infantilidade, pode ligar pra ele desmarcando – pediu enciumado.
-Não posso não – ela deu um beijo na testa de Ronan e sussurrou algo em seu ouvido – confia em mim, Joe.
Ele se enfureceu ainda mais quando viu a porta se abrindo e Demi saindo decidida de dentro do quarto, se deitou irritado e colocou o braço sobre o rosto.
-Pai – Ronan se virou pra ele inocente – você e a tia Demi não são só amigos, né?
-Você sabe guardar segredo?- Joe perguntou e ele afirmou com a cabeça – nós começamos a namorar ontem.
-SÉRIO? – o rosto infantil se iluminou com um sorriso imenso – eu amo a tia Demi – ele disse assim, simplesmente, direto e sincero como uma criança, o que fez Joe pensar como eles conseguiam ser assim? Pra eles o amor era puro, como deveria ser pra todos.
Joe concordou com a cabeça e abriu os braços para o filho deitar, ele brincava com aqueles frágeis e pequenos dedos.
-É – sorriu meio bobo – eu acho que também a amo.

Oi, oi gente! Mil desculpas pela demora, vocês sabem, to sem internet em casa e tal. Enfim, ta aí o capítulo 21 e.... tchã tchã tchã tchã.... só tem mais 9 capítulos ! :O Isso aí, só mais 9 capítulos, gente. Aproveitem o restinho da fic, estamos na contagem regressiva! Pois é, é isso aí. Comentários ? xx