sábado, 24 de novembro de 2012

Everything Has Changed - Capítulo 36


Capítulo 36

-Demi – Denise chamou, Demi nem percebera que tinha passado a tarde toda trancada no quarto, hora chorando hora dormindo até a voz de Denise despertá-la – posso entrar?
-Sim – Demi respondeu e a porta se abriu lentamente, a menina esperava a luz entrar mas já era tarde pra isso, ela pode ter uma visão real do tempo que havia ficado ali.
-Está tudo bem? – Denise perguntou em um tom de voz maternal e Demi concordou com a cabeça – tudo vai se encaixar, querida – Denise se sentou na cama e em segundos Demi estava em seus braços como fazia com a sua mãe – Miley já chegou, vou mandá-la subir, ok?
-Ta bem – Demi se levantou e a abraçou – obrigada por tudo, Denise, eu nunca vou esquecer o que vocês fizeram por mim – elas trocaram um último sorriso e em alguns minutos Miley já estava na porta do quarto.
-Demetria, minha filha, olha pra você – Miley fechou a porta com força e encarou Demi brava – é a sua noite e você ainda está mal arrumada, descabelada e com cara de morta.
-Talvez seja porque eu preferiria estar morta – Demi lamentou – por dentro pelo menos.
-DEMETRIA DEVONNE LOVATO – Miley gritou.
-Tá tudo bem ai? – Nick perguntou, ele passava pelo corredor quando ouviu o grito.
-SOME, NICHOLAS – Miley gritou em resposta sem tirar os olhos de Demi e ele foi para o seu quarto assustado – PERCEBEU O QUE VOCÊ FALOU? PRESTA A ATENÇÃO – Miley jogou as sacolas que segurava no chão e respirou fundo – HOJE É O SEU JANTAR, SUA NOITE, NÃO EXISTE SÓ O IDIOTA DO JOSEPH, PESSOAS QUE SE APEGARAM A VOCÊ QUEREM GUARDAR NA MEMÓRIA O SEU SORRISO, NÃO ESSA CARA DE… – Miley parou por um segundo – DEIXA PRA LÁ – Demi não resistiu e soltou um risinho, mas logo ficou séria já que Miley se aproximava com uma cara nada boa, pegou em seus braços e a segurou – PORTANTO, QUERIDA DEMI, VOCÊ VAI TOMAR UM BANHO E ME DEIXAR TE FAZER UMA BELA MAQUIAGEM E UM PENTEADO LINDO E VAI USAR – Miley soltou Demi e pegou uma das sacolas – esse vestido perfeito – mostrou o vestido finalmente parando de gritar.
-O que? – Demi perguntou incrédula – Miley, isso não é um vestido, é um pedaço de pano, um micro pedaço de pano na verdade.
-Você achou feio? – Miley perguntou triste.
-Não, não é feio, é lindo – Demi segurou o vestido com os olhos brilhando – mas eu não sirvo pra usar isso, quer dizer, eu não tenho corpo pra isso.
-Demi, sério – Miley disse baixo e séria – qual é o seu problema? – Demi olhou pra ela sem entender, Miley respirou fundo sem paciência – vai tomar banho e depois a gente conversa.
-Por que você cobriu meu espelho? – Demi perguntou saindo do banheiro enrolada na toalha e com o cabelo encharcado.
-Porque você só verá a mágica no final – Miley disse com os olhinhos brilhando – senta e relaxa.
Demi se sentou na cama e Miley começou o trabalho, ela secou os cabelos de Demi e enrolou as mechas, partiu para a maquiagem, as duas faziam piadas e falavam coisas idiotas.
-Pronto – Miley encarou Demi e sorriu – veste – disse com autoridade estendendo o vestido pra ela.
-Miley…
-Coloca esse vestido logo – Miley disse sem muita paciência, andou de um lado para o outro enquanto esperando a amiga aparecer – MEU DEUS – soltou involuntariamente quando viu Demi no vestido.
-Tá bom?
-TÁ PERFEITO – Miley deus uns gritinhos agudos e bateu palma – mulher, que corpo é esse?
-Obrigada, eu acho – Demi disse corada.
-Agora senta aqui pra eu terminar – Demi se sentou na cama e Miley deu os últimos retoques na maquiagem e soltou os rolinhos do cabelo fazendo cachos delicados nas pontas dos cabelos da amiga – pronto, pode olhar.
Demi caminhou devagar até o espelho, respirou fundo e puxou lentamente o pano que o cobria.

Everything Has Changed - Capítulo 35


Capítulo 35

-O que foi isso? – Joe segurou Nick pelo braço assim que percebeu que Demi já estava longe suficiente.
-O que? – Nick perguntou confuso.
-Essa despedida melosa – Joe aumentou um pouco o tom da voz mas Denise coçou a garganta para lembra-lo de que ainda estava ali e odiava brigas entre eles.
-Joe – Nick respirou fundo para não perder a paciência e retirou lentamente a mão de seu irmão – eu já te expliquei eu não quero nada com a Demi além da amizade, e eu só estava tentando fazer com que pelo menos alguma coisa da estadia dela aqui valesse a pena, já que meu querido irmão fez o favor de estragar tudo, como sempre – Nick deu boa noite pra sua mãe e foi para o quarto.
Joe olhou arrasado para a sua mãe, ele estava sem chão, ele precisava conversar com Demi mas ela não iria deixar ele se aproximar, e no fundo assim era melhor, menos provável dele magoa-la de novo.
-Joe – Denise chamou o filho que se retirava lentamente, ele se virou para a mãe – por que você fez isso? – ela não estava brigando, apenas queria entender, já que Joe parecia mesmo apaixonado.
-Eu não sei – ele abaixou o olhar triste – eu só estava confuso, a Demi tinha brigado comigo e eu sai pra tomar um ar, ela estava distante e estranha, eu parei em uma lanchonete e a Camilla estava lá, ela percebeu que eu estava mal, alguém na lanchonete deve ter ligado para algum paparazzi ou tirado alguma foto, eu não sei, só sei que e questão de segundos os fotógrafos estavam na porta – ele rolou e trincou o maxilar antes de continuar – a gente saiu conversando normalmente, quando fomos nos despedir ela me beijou – ele respirou fundo – não estou me isentando da culpa, eu correspondi, não sei porque, pelo momento, talvez, sei lá, mas eu me senti tão culpado, mãe – ele ergueu o olhar pela primeira vez – eu percebi que eu amo a Demi, se fosse com qualquer outra eu não ligaria, minha consciência não ficaria pesada, mas quando eu beijei a Camilla a imagem da Demi veio na minha mente, eu chorei por horas no caminho de volta, eu pretendia me explicar pra ela, mas ela viu a foto antes e…
-Tudo bem, Joe – Denise o interrompeu indo abraça-lo – eu entendo, filho, mas o que você fez foi errado.
-Eu sei – Joe se soltou do abraço – o que eu faço?
-Acho que você vai ter que começar do zero – Denise disse cautelosa – reconquistar a confiança da Demi, ela te ama, mas está muito magoada.
-Ela é muito cabeça dura, mãe, não vai aceitar que eu me aproxime dela.
-Se você quer aceitar ficar sem ela – Denise deu de ombros e foi andando em direção a escada – sua escolha, meu filho, mas não reclame depois.
Joe passou a noite toda pensando em como se aproximar de Demi, com certeza ela não iria deixar que isso acontecesse tão facilmente, ele pensou em fazer um discurso na hora do jantar, mas ela levantaria da mesa e sairia correndo estragando a ultima oportunidade de vê-la feliz dentro do possível. Depois de lutar contra o sono desesperado por respostas, ele perdeu, acordou tarde, o sol já estava quase na metade do quarto, meio dia? Provavelmente por ai, ele se deu conta de que dormira demais e resolveu se levantar.
Enquanto tomava um banho demorado ele se permitiu mais um momento de fraqueza, Joe chorou muito em silencio, ela estava indo e qualquer tentativa de impedir isso seria ridiculamente fracassada, ele conhecia ela, quando Demi enfia algo na cabeça não há quem tire.
-Por que tão teimosa, Demetria? – ele reclamou socando a parede do banheiro, Demetria, o nome da menina rodava a sua cabeça lhe proporcionando lembranças maravilhosas, de como ele amava chama-la assim só pra vê-la irritada, de quando eles trombaram no corredor e ele pode pela primeira vez olha-la nos olhos, de tudo que eles viverem e como aquele sentimento se tornou tão forte em tão pouco tempo – eu preciso de você – Joe sussurrou, já não chorava mais, não havia mais lágrimas para isso, ele apenas deixava com que a água quente caísse sobre ele pedindo pra que ela levasse embora a dor e o vazio que estava se formando em seu peito.
-Finalmente – uma voz familiar exclamou assim que ele apareceu na sala de jantar – me ajude com isso – Denise apontou para alguns arranjos de flores no canto da sala, se você não olhasse com atenção diria que eram de verdade, mas eram sintéticas.
-Vocês já almoçaram? – Joe perguntou pegando o maior dos arranjos e colocando no centro da mesa.
-Sim, precisávamos desocupar a mesa logo, mas tem um prato pra você no forno – ela explicou – mais para a direita, Joseph.
-Assim?
-Perfeito – Denise exclamou – pronto, só isso…
-Quer alguma ajuda? – Demi perguntou entrando na sala e gelou ao ver Joe, eles ficaram se encarando por um momento até Demi recobrar os sentidos – vejo que já tem um ajudante – ela gira sobre os calcanhares em direção a saída.
-Na verdade, querida – Denise a chama forçando-a a parar ali mesmo – eu preciso que você ajude Joe aqui, eu realmente preciso resolver outras coisas.
-E eu não posso resolver essas outras coisas? – Demi perguntou visivelmente nervosa, se virando lentamente e mordendo o lábio inferior.
-Na verdade não – Denise dá um sorriso acolhedor e mostra o que Demi teria que fazer, as tarefas são ridículas, Joe faria facilmente sozinho, mas ela entende que o que Denise quer é dar uma chance pra eles conversarem sem que ela fuja.
-E então? – Demi resolve perguntar friamente pra Joe que encara um vaso de planta como se esperasse que ele ganhasse vida, seu rosto, visivelmente cansado e abatido se levanta com um ar de surpresa – o que você quer falar comigo? Fala logo antes que eu desista.
-Você pode se desarmar um pouco? – ele pergunta finalmente se desprendendo do vaso e olhando pra ela.
-Não, não pra te dar outra oportunidade de me fazer sofrer – ela diz mantendo rigidamente o tom frio e indiferente em sua voz – você vai falar ou prefere que eu volte a te ignorar completamente?
-Demi – ele disse, na verdade sua voz carregava um intenso tom de súplica – antes de tudo eu quero me desculpar, eu não quis fazer isso em momento nenhum, mas – sua voz agora estava embargada devido ao nó que formara em sua garganta.
-Mas o que? – Demi o interrompeu com raiva – vai vir com aquele papinho de sempre – Demi rolou os olhos e forçou um outro tom de voz – ela me agarrou, e, sabe como é, né, eu sou homem, não consegui resistir.
-Não, não foi isso – Joe respondeu se aproximando dela, que por incrível que pareça, não recuou – não estou dizendo que eu não tive culpa, Demi, tenta entender – ele se aproximou mais um pouco – você estava me ignorando completamente, eu sai pra pensar um pouco e acabei encontrando a Camilla, a gente conversou e quando eu sai a lanchonete estava cheia de fotógrafos, ela me pegou de surpresa com o beijo e eu reconheço que eu não relutei, mas eu me senti tão culpado, mas tão culpado, Demi, quando eu beijei ela seu rosto veio a minha mente o que me fez parar na hora, eu me senti tão mal, eu ia te contar, eu juro que ia, eu ia te explicar, mas você viu as fotos antes e – ele seu auto-interrompeu – enfim, eu sei que nada vai mudar o fato de que você vai partir depois de amanhã, eu só queria que você soubesse que eu me arrependo de verdade, e que – ele puxou Demi pela cintura e olhou bem em seus olhos – eu te amo, Dems, e eu tenho certeza disso agora, eu vou esperar você por as coisas em ordem e achar que eu te mereço de volta, porque nenhuma menina nunca vai ser pra mim o que você é, e eu não quero outra no seu lugar.
Demi não sabia o que falar, pela primeira vez Joe havia falado abertamente sobre amor, ela percebeu que tinha uma parcela de culpa, ela estava realmente evitando ele naquela manhã, e ela também não era namorada dele oficialmente, mas mesmo assim, ele não podia ter feito aquilo, nada justificava, como os dois sabiam disso Joe havia chegado a conclusão, ele iria esperar e ela iria apenas pensar, Demi respirou fundo.
-Ok, Joe, eu te desculpo – ele sorriu fraco e ela se afastou dele e saiu da sala, tentou ser forte até chegar ao topo da escada, quando percebeu que não tinha mais ninguém perto ela se trancou no quarto e chorou tudo que tinha segurado nesses dias.

Everything Has Changed - Capítulo 34


Capítulo 34

-Droga, Demi, atende – Miley resmungava enquanto avançava um sinal vermelho, depois de várias tentativas ela finalmente ouviu soluços do outro lado da linha – DEMI – ela gritou e Demi respondeu um “oi” baixo – fica calma, eu to indo te encontrar, onde você tá?
-Em uma pracinha duas quadras depois da casa dos Jonas – ela finalmente conseguiu dizer entre os soluços.
Miley desligou o telefone e correu pra lá, Demi se sentou no mesmo lugar em que ela e Alex comeram pizza, ela abraçou os joelhos e se escondeu entre eles, Demi tinha a péssima mania de esconder as lágrimas, odiava chorar na frente dos outros, mas ali ela deixavam com que as gotas rolassem livre pelo seu rosto.
Nem percebeu que já estava há bastante tempo ali quando sentiu alguém se sentando ao seu lado, ela levantou calmamente o rosto que estava vermelho e inchado, Miley nada disse, apenas abriu os braços e Demi se jogou no colo da amiga.
-Ele me traiu, Miley – Demi disse depois de um longo silencio, Miley apenas fazia carinho na amiga – ele foi visto aos beijos com a Camilla Belle – Miley trincou a mandíbula – e nem fez questão de esconder nada – Demi fitava o vazio – as fotos estão em todos os sites, todo mundo está falando disso, como eu pude ser tão idiota?
-Você não foi idiota – Miley disse, sua voz estava carregada de raiva – ele é um idiota, sempre foi, mas eu não entendo, ele te ama, Demi, eu tenho certeza disso.
-Não ama, Miley – Demi riu sem humor – quem ama não faz isso.
-Ele deve ter alguma explicação – Miley estava com raiva, mas ela conhecia Joseph, ele amava Demi.
-Isso não importa mais – Demi lamentou finalmente parando de chorar um pouco.
-Como assim? – Miley perguntou confusa e Demi se sentou para encara-la.
-Eu to voltando para o Brasil semana que vem – ela disse triste.
-Demi – Miley sussurrou e pulou para abraça-la – eu acho que me apeguei demais a você – ela disse – mas eu sei que você precisa desse tempo e alguma coisa me diz que você vai voltar – ela se levantou – e se não voltar, eu te busco pelos cabelos.
-Se for pra te visitar – Demi sorriu e fez um carinho em Miley – eu volto.
Elas ficaram conversando por um tempo, Miley fazia palhaçadas e contava histórias engraçadas pra Demi sorrir e esquecer Joe, assim que Miley parou em frente ao portão dos Jonas ela quis entrar pra capar Joe mas Demi conseguiu conte-la, elas se despediram e marcaram uma ultima festa do pijama.
-Ei – Nick disse assim que ouviu a porta do quarto de Demi se abrindo – tá melhor?
-Que susto, Nicholas – Demi disse com um fraco sorriso, ela ainda tinha os olhos inchados e vermelhos – bem, digamos que a Miley sabe fazer alguém se sentir melhor – eles sorriram – foi você que ligou pra ela, né?! – Nick fez que sim com a cabeça – obrigada – Demi sorriu leve e eles se abraçaram.
-Bem – Nick disse desfazendo o abraço – não sei se a Senhorita reparou mas já á tarde e eu preparei algo pra gente, tipo uma despedida – Demi torceu o nariz, ela precisava ir, mas precisava admitir, ficar sem Nick seria muito difícil – com certeza minha mãe vai querer fazer um jantar um pouco mais oficial – a ideia fez Demi estremecer, a ultima coisa que ela queria era ver Joe, mas não iria pensar nisso agora – mas eu queria um tempinho com a minha amiga, posso?
-Claro que pode – Demi disse – só me dá um tempinho pra tomar banho e dar um jeito nesse rosto inchado – eles riram – onde a gente vai?
-Como você não pode ser vista comigo – ele fez um biquinho – me encontra no jardim – eles riram e Demi foi para o banho.
Como não estava frio Demi colocou um vestidinho leve, secou o cabelo e deixou solto, pegou o violão e saiu do quarto pedindo mentalmente a Deus pra não encontrar Joe. Respirou fundo ao chegar no jardim sem vê-lo, logo sorriu ao ver o que Nick havia preparado.
Havia uma toalha quadriculada no gramado, velas iluminavam em volta, algumas luzes estavam acesa na piscina, em cima da toalha estava a comida, quer dizer, não era um banquete, tinha algumas pizzas, suco e morangos com chocolate, tudo bem simples, mas lindo.
-Nossa – Demi disse boquiaberta – tá perfeito.
-É, eu também achei – Nick se gabou do trabalho.
-Você fez isso sozinho? – Demi perguntou enquanto colocava o violão no chão se sentando na toalha logo em seguida.
-Mais ou menos – ele explicou – eu tive a ideia e a Sara me ajudou, sabe que eu não sou nem um pouco delicado pra isso – eles riram.
-Tá perfeito – Demi levantou o olhar com um sorriso no rosto – obrigada.
Nick apenas sorriu e eles atacaram a comida, eles riam e conversavam animadamente, as vezes tocavam violão e cantavam juntos. Depois de várias horas ali Nick se lembrou de uma coisa.
-Demi, eu tenho uma surpresa pra você – ele disse.
-Outra? – ela perguntou sorrindo mais ainda.
-Levanta – Nick disse se levantando também, ele deu a volta e colocou um cordão em Demi, o cordão tinha um pingente com o símbolo do infinito, atrás estava escrito “para sempre” e em um outro lado as iniciais N.J., Demi analisou cuidadosamente pingente – gostou? – ele perguntou voltando a ficar de frente pra ela.
-Eu AMEI – ela disse sorrindo – é lindo, Nick, é perfeito – ela pulou no colo dele – obrigada – ele sorriu abraçando-a.
-Vou sentir sua falta – ele disse lutando contra as lágrimas.
-Eu também vou morrer de saudades sua – ela disse voltando para o chão – pode chorar, Nick – eles riram – obrigada por tudo, eu te amo.
-Eu também te amo, pequena – Nick respondeu abraçando ela de novo.
-Bem, acho melhor a gente entrar, tá ficando tarde – Demi disse e Nick concordou, eles arrumaram mais ou menos as coisas e foram pra dentro.
-Demi – Denise a chamou assim que ela entrou com Nick, Joe estava ao lado da mãe com uma cara nada boa, Demi paralisou por um instante – Demi? – Denise chamou mais uma vez e Nick segurou a mão da amiga.
-O-o-oi – ela gaguejou um pouco desviando o olhar de Joe.
-Você vai na segunda? – Denise perguntou e Joe estremeceu.
-Sim – Demi respondeu baixo e Nick apertou sua mão – o contrato vai até a segunda – ela observou e respirou fundo – eu já estou com as passagens.
-Entendi – Denise lamentou – bom, hoje já é sexta, você se importa se fizermos um jantar amanhã pra você?
Sim, ela se importava, com certeza Joe estaria no jantar, mas ela não podia negar isso a Denise, Paul, Nick e muito menos a Frankie.
-Não, tudo bem – finalmente disse – se a Senhora não se importar, eu posso convidar a Miley?
-Tudo bem, querida, o jantar é pra você – Denise disse com um sorriso acolhedor, Demi sorriu em resposta.
-Demi, será que – Joe tentou falar.
-Se vocês não se incomodam eu vou dormir – Demi o interrompeu friamente, ignorando completamente Joe – boa noite – ela sorriu para Denise – obrigada, Nick, eu amei, estava tudo perfeito – ela depositou um beijo meigo no rosto de Nick e eles se abraçaram.
-Por nada – ele respondeu – fica bem, tá?! – ela sorriu fraco e saiu da sala.

Everything Has Changed - Capítulo 33


Capítulo 33

Demi veio em silencio dentro do carro, Marcos fazia uma piada ou outra e ela ria por educação, não que as piadas não fossem engraçada, mas Demi não estava prestando a atenção, não fazia ideia do que ele falava, sua mente estava longe.Estava com Joe, como falar que ela vai voltar para o Brasil? Como tratar disso com ele? Ela tinha medo de que ele não entendesse, um nó se formou em sua garganta, Demi não queria ficar sem ele, não mesmo.
Assim que o carro parou em frente àquela grande mansão a menina respirou fundo tentando controlar o choro, ela tinha que ser forte, ela era forte, não era? Sim, ela era, Demi levantou a cabeça e caminhou lentamente para dentro da casa, foi direto para a sala de TV, jogou a bolsa no sofá e se sentou.
-Calma, Demi, calma – ela dizia baixo, se levantou e ficou andando de um lado para o outro – como ter calma, Demetria? – ela falava pra si mesma – você vai embora e vai deixar o menino que você – ela parou bruscamente, seu coração acelerou – ama – ela sussurrou e encarou o vazio – droga, falar isso não vai ajudar – ela pegou o celular para se distrair enquanto tomava coragem pra chamar Joe.
-Demi – Joe chamou chegando na sala – você tá ai? – ele perguntou e a viu encarando o celular, tremendo e com lágrimas nos olhos – tá tudo bem? – ele perguntou preocupado, mas ela não se mexeu – Demi, fala comigo – ele se aproximou.
-NÃO ENCOSTA EM MIM – Demi gritou enxugando as lágrimas.
-Isso ainda é pela música? – Joe perguntou incrédulo.
-Não se faça de desentendido – ela disse com raiva – eu sou mesmo uma idiota, como eu fui acreditar em você?
-Demi, do que você tá falando? – Joe perguntou voltando a se aproximar.
-QUE DROGA, JOSEPH, EU TE AMO – Demi disse chorando mais, Joe sorriu com as palavras dela, mesmo naquela situação, ele estremeceu por dentro quase pulando de felicidade.
-Eu também – ele tentou dizer.
-NEM VEM – ela o cortou – EU PEDI PRA NÃO BRINCAR COMIGO – ela gritava descontroladamente,  Joe pensou em o que ele podia ter feito pra ela estar assim, quando achou a resposta ficou tenso.
-Demi, eu – ele tentou se explicar.
-CAMILLA BELLE? – ela perguntou chorando mais – VOCÊ FOI VISTO AOS BEIJOS COM A CAMILLA BELLE, E TEM CORAGEM DE DIZER QUE ME AMA, QUE ME QUER MAIS TEMPO AQUI – Denise apareceu na sala pra ver o que estava acontecendo, Nick, que acabara de chegar da rua também correu para ver.
-Demi – Joe tentou explicar.
-POR QUE, JOSEPH? – ela chorava cada vez mais, andava de um lado para o outro, olhava a foto no celular e não acreditava no que via, era como se seu mundo tivesse acabado – EU PEDI PRA VOCÊ NÃO BRINCAR COMIGO, ERA SÓ FALAR QUE EU ERA MAIS UMA, IA DOER MENOS DO QUE ME FAZER ACREDITAR QUE EU ERA IMPORTANTE – ela parou de andar e o encarou friamente – mas você não vai ter a oportunidade de rir na minha frente – ela disse um pouco mais calma – eu decidi não prolongar meu contrato, estou indo para o Brasil semana que vem – ela pegou a bolsa no sofá e se aprontou pra sair da sala – e quanto a musica, ela é sua, pode usar, faça o que você quiser – ela se virou e saiu da casa correndo.
-Não – Joe sussurrou, ele se sentou no chão e abraçou os joelhos chorando – eu te amo, Demi – ele disse baixo.
-Joseph – Denise disse firme, ele apenas levantou o rosto já cheio de lágrimas – meu filho, eu te pedi – ela disse se abaixando e aninhando o filho em seu colo.
-Mãe, eu amo a Demi – ele disse entre os soluços.
-Não, você não a ama – Nick disse com raiva – por que você fez isso?
-Nick – Denise disse – agora não.
-Mãe, ele prometeu – Nick disse fechando os olhos e respirando fundo.
-VOCÊ TÁ COM RAIVA PORQUE ELA ESCOLHEU A MIM – Joe disse se levantando e empurrando o irmão – VOCÊ PENSA QUE ENGANA ALGUÉM? VOCÊ GOSTAVA DELA.
-SIM, EU AMO A DEMI – Nick gritou em resposta – MAS ERA COMO UMA IRMÃ, SE EU A AMASSE COMO MULHER, JOSEPH, EU A FARIA FELIZ, COISA QUE VOCÊ FOI INCAPAZ DE FAZER, AGORA VOCÊ DEIXOU A GAROTA MAIS INCRÍVEL DO MUNDO ESCAPAR, VOCÊ A FEZ SOFRER.
-Droga, Nick, eu a amo – ele disse baixo.
-Não, você não sabe o que é amor – Nick disse com raiva e saiu dali deixando Joe e Denise na sala – Miley? – ele disse ao telefone enquanto fechava a porta do quarto.
-Nick – ela respondeu – o que aconteceu?
-Você me conhece muito bem, né?! – ele riu sem vontade pelo fato dela saber que algo havia acontecido sem ele falar nada – você tá ocupada?
-Não muito – ela respondeu – to saindo da gravadora e to indo para uma entrevista sei lá aonde – riu sem vontade – por que?
-Você tem como ligar pra Demi? – ele perguntou triste.
-O que aconteceu? – Miley logo assumiu um tom de preocupação.
-Joseph – ele disse como se parecesse óbvio.
-NÃO – Miley gritou e desligou o telefone na cara de Nick.

Everything Has Changed - Capítulo 32


Capítulo 32

Estava tudo escuro quando Demi entrou em casa, ela foi silenciosamente em direção a escada mas pode ver a luz da TV, ela deu meia volta.
-Ainda acordado?! – Demi disse se sentando no sofá.
-Te esperando – Joe disse e olhou pra ela – fiquei preocupado.
-A Miley me trouxe – Demi explicou tirando os sapatos e se ajeitando no colo de Joe.
-Foi legal o jantar? – ele perguntou enquanto mexia em seu cabelo.
-Foi incrível – Demi respondeu sorrindo.
-Demi, eu precisava falar com você – Paul apareceu na sala, estava com uma garrafa d’água na mão e com cara de sono, Demi se levantou.
-Pai – Joe tentou argumentar mas Paul ignorou e continuou.
-Joseph me mostrou a sua musica – Demi ficou tensa e encarou Joe, mas Paul não percebeu e continuou falando – como é difícil a gente se ver eu queria te dizer que eu estou disposto a colocar essa musica no novo cd dos meninos, e te lançar também, você é incrível, Demi, o mundo precisa conhecer essa voz – Paul estava animado – bom, pense com carinho na minha proposta, boa noite meninos, e juízo – Paul deu um sorrisinho e saiu.
-Demi, eu – Joe tentou se explicar.
-Por que você mostrou pra ele, Joseph? – Demi perguntou – você me prometeu, PROMETEU, que não ia mostrar pra ninguém aquela musica.
-Eu sei, Demi, é que você só tem um mês aqui e – Joe abaixou a cabeça – se você aceitar você vai poder ficar.
-Mesmo assim, Joe, você não tinha esse direito, eu não quero ser a namorada do Joe Jonas, eu quero ser só a Demi Lovato – Demi explicou.
-Eu te entendo, Demi, mas eu estava desesperado, eu precisava arrumar um jeito de te manter aqui – ele explicou e se aproximou dela segurando-a pela cintura, Demi tirou as mãos dele – agora vai ser assim?
-Eu preciso pensar, Joseph – Demi disse séria, Joe tentou dar um beijo nela mas ela virou o rosto – boa noite.
-Droga – Joe deu um soco no sofá, ele subiu as escadas chorando e começou a bater na porta de Nick.
-Qual é o seu problema, cara?! – Nick perguntou sonolento mas ficou preocupado quando viu o irmão chorando – cara, entra ai.
Joe se sentou na cama e começou a contar o que havia acontecido.
-Eu vou conversar com ela – Nick disse sério.
-Por favor, tenta convencer essa menina de que isso vai ser bom pra ela – Joe disse.
-Eu prometo que converso com ela amanhã  - Nick disse – é melhor você ir dormir, você precisa descansar – Joe se levantou e eles se abraçaram.
-Dallas?! – Demi choramingou no telefone – te acordei?
-Não – a irmã respondeu docemente – aconteceu alguma coisa? Meu Deus, Demi, são duas e pouca da manhã ai, o que houve?
Demi contou para Dallas nos mínimos detalhes sobre a música e a gravação, enfim, sobre tudo.
-Isso é ótimo, Demi – Dallas disse sorrindo – quer dizer, é o seu sonho, não é?
-É – Demi disse fraco – mas, Dallas, eu não quero fazer sucesso por causa dos Jonas, e outra, eu não to pronta ainda, eu não to pronta pra subir em um palco, pra lançar um CD, eu não quero isso ainda, o que eu faço? – Demi passou a mão no rosto e suspirou.
Elas conversaram por um longo tempo, até Demi chegar a conclusão do que faria.
Como de costume, Demi se levantou cedo para a aula, a essa hora apenas ela, Denise e Paul estavam acordados, ela se levantou sem nenhuma vontade, tomou um banho rápido, escovou os dentes e desceu mexendo na sua bolsa.
-Bom dia – resmungou assim que chegou na cozinha.
-Bom dia – Denise e Paul responderam em coro – Demi, nós precisamos conversar com você – Denise falou calma enquanto se sentava ao lado do marido, Demi fez um sinal pra que ela continuasse – bem, você tem menos de um mês aqui e nós nos apegamos a você – ela sorriu gentilmente – gostaríamos de saber se você pode ficar mais seis meses.
-Também tem a proposta que te fiz – Paul completou sem deixar espaço para Demi responder – eu realmente amei a sua voz e tenho muitos planos pra vocês.
-Vocês? – Demi perguntou confusa.
-Sim, você e os meninos – ele explicou – claro, também teremos um trabalho solo, mas você e o Joe venderiam fácil.
Demi respirou fundo, eles a encaravam a espera de uma resposta, mas ela já havia chegado a sua conclusão, apenas levantou o olhar cansado e disse:
-Bem eu libero a letra e o áudio para o próximo CD dos meninos – Paul sorriu – mas eu não vou ficar – ela respirou fundo – me desculpa, eu sou muito grata por tudo que vocês fizeram, mas eu não posso ficar mais seis meses.
-Joe já sabe disso? – Denise perguntou enquanto pegava a mão de Demi em um ato materno e instintivo, qualquer um perceberia que ela estava sofrendo ao dizer aquilo.
-Não – Demi respondeu baixo, ela apertou a mão de Denise – mas eu vou conversar com ele, pode ficar tranquila, eu mesma quero dar a noticia.
-Tudo bem, nós não vamos contar – Denise disse sorrindo educadamente.
-É uma pena – Paul lamentou – mas a minha proposta continua, Demi, quando você se sentir pronta é só avisar, eu vou te ajudar a realizar seu sonho.
-Obrigada – ela disse segurando as lágrimas.
Eles terminaram o café em silencio, Demi foi para a aula e voltou na correria pra arrumar Frankie.
-FRANKIE – ela gritou no final da escada enquanto se distraía com o celular – a gente vai se atrasar, desce logo.
-TÔ INDO – o menino respondeu de um dos quartos, Joe desceu as escadas triste.
-Oi – Demi disse rindo sem humor, ele a encarou surpresa – a gente precisa conversar – ele apenas concordou com a cabeça – você vai estar ai quando eu voltar? – ela perguntou e ele afirmou com a cabeça.
-Pronto – Frankie apareceu na sala pulando os últimos três degraus – vamos?
-Sim – Demi pegou sua bolsa e seu celular – até então, Joe.
-Até – ele disse ainda confuso e foi para a sala de TV.